Ataque de 51% explicado: Casos no mundo Cripto

Um Ataque de 51% é o pior pesadelo de qualquer rede descentralizada e seus participantes. Embora a indústria de blockchain pretenda trazer conceitos de transparência e confiança, ainda existem alguns riscos de invasão e tomada de poder forçada. O que é um Ataque de 51%? O que deve ser feito para evitá-lo? Vamos explicar o conceito e examinar casos reais de Ataques de 51%.

O que é Ataque de 51?

Para entender por completo um ataque de 51%, aqui está um resumo de princípios básicos de criptografia em protocolos de consenso. Em 2009, o criador da primeira criptomoeda, Satoshi Nakamoto, introduziu um algoritmo de prova de trabalho (PoW) em seu Whitepaper de Bitcoin. De acordo com o documento, todos os participantes da rede (nodes) precisam resolver tarefas algorítmicas usando o poder de hash do hardware para adicionar novos blocos ao blockchain. 

Uma vez que um minerador ou um grupo de mineradores  unidos (um cartel ou um pool de mineração) possuam mais de 50% do poder de hash na rede, eles podem controlar a rede. Controlar a rede significa que agentes com más intenções poderão gastar duas vezes mais suas moedas, além de decidir qual transação processar e adicionar à blockchain. 

No entanto, um minerador que obtém 51% ou mais do poder de hash da rede não pode reverter transações já realizadas, capturar os fundos das contas ou criar novas moedas. 

Para iniciar um Ataque de 51% à uma rede que se baseia em um mecanismo de consenso de prova de participação (PoS), um participante da rede deve obter mais de 51% da criptomoeda. 

Casos de Ataque de 51% no histórico de criptografia

O Ataque de 51% é um evento pouco frequente. A indústria de blockchain sofreu vários ataques ao longo de dez anos de sua existência. No entanto, às vezes um Ataque de 51% pode ser organizado intencionalmente, a fim de eliminar os maus agente da rede.   

#1. Bitcoin Gold (BTG)

O ano de 2020 começou com um Ataque de 51% na Bitcoin Gold blockchain. Este foi o segundo ataque nos últimos dois anos, o que deixou alguns mineradores preocupados com as vulnerabilidades na rede. 

No final de janeiro de 2020, a blockchain Bitcoin Gold sofreu dois ataques de 51%. O primeiro ocorreu em 23 de janeiro, quando 14 blocos foram removidos da rede. Um pouco mais tarde, 13 novos blocos foram adicionados ao blockchain, sendo que os participantes da rede podiam ver que 1.900 moedas BTG foram gastas duas vezes. 

Em 24 de janeiro, outro ataque aconteceu e, desta vez, os mineradores maliciosos removeram outros 15 blocos e adicionaram 16. Durante o último ataque, 5.267 BTG foram gastos duas vezes. O resultado dos ataques – cerca de US$ 72.000 foram gastos em dobro e roubados do sistema. 

A Binance aumentou seu requisito de retirada do BTG para 20 confirmações logo após o ataque. O primeiro Ataque de 51% em que houve gastos duplicados de uma mesma moeda na rede Bitcoin Gold aconteceu em 2018 e resultou em US$ 18 milhões em ativos roubados. A plataforma de troca Bittrex teve que retirar a BTG de sua listagem de moedas naquela época. 

#2. Ethereum Classic (ETC)

etc logo

O blockchain da Ethereum sofreu um Ataque malicioso de 51% no início de 2019. Os hackers conseguiram roubar uma quantia de ETC no valor de US$ 1,1 milhão. Os analistas descobriram um pool de mineração privado suspeito que poderia aumentar seu poder de hash em até 3.263 GH/s. Logo depois, voltou aos 300 GH/s. O ataque se repetiu dez horas depois. De acordo com o Relatório da CoinNess, o pool de mineração da Dark Horse controlava aproximadamente 63% da taxa de hash da rede ETC.   

Para impedir a retirada dos fundos roubados, a maior bolsa de criptomoedas dos EUA, a Coinbase, suspendeu todas as transações de ETC. 

#3. Bitcoin Cash (BCH)

Um Ataque de 51% intencionalmente organizado ocorreu na rede Bitcoin Cash há um ano.  

Em maio de 2019, dois gigantescos pools de mineração, o BTC.top e o BTC.com, realizaram um ataque de 51% para impedir que um minerador desconhecido apreendesse moedas que não lhe pertenciam. De acordo com o entusiasta do Bitcoin, a série de tweets de Guy Swann, um minerador desconhecido tentou atribuir várias moedas que estavam sendo enviadas para endereços do tipo ‘qualquer um pode gastar’.

“Desde a divisão original em 2017, houve um número significativo de moedas enviadas acidentalmente para endereços ‘qualquer um pode gastar’ (devido à compatibilidade de transação de sigs, mas não #SegWit no #BCH), ou possivelmente elas foram reproduzido do #Bitcoin na rede #BCH ”, explicou. 

O BTC.top e o BTC.com iniciaram um Ataque de 51% e resolveram o problema rapidamente. No entanto, essa estratégia suscitou preocupações em torno da descentralização do BCH e revelou o que pode ser feito com muito poder de hash nas mãos de duas entidades. 

Como impedir 51% de ataque

As blockchains gigantes como o Bitcoin não sofrem um ataque de 51% com muita frequência, pois é quase impossível ultrapassar uma grande quantidade de poder de hash da rede BTC.

Um Ataque de 51% é um evento bastante caro. Para se tornar responsável por mais de 50% da taxa de hash de uma rede, um minerador mal-intencionado precisa obter hardware extremamente poderoso, o que também requer uma quantidade enorme de energia elétrica.

Um grupo unido de mineradores maliciosos pode organizar o ataque em um esforço para possuir mais de 50% da energia da rede. Nesse caso, é razoável impedir a criação de piscinas gigantes de mineração que concentram grande poder computacional com muitos mineradores.   

Um pequeno bug na atualização recente pode fornecer aos hackers brechas que criam um ambiente perfeito para eventos de gasto duplo. Portanto, os desenvolvedores da rede devem revisar o código cuidadosamente antes do lançamento final. 

Considerações finais

O risco de um Ataque de 51% existe em todas as redes descentralizadas. No entanto, para organizar essa invasão, é preciso gastar muito esforço e dinheiro para assumir o controle sobre uma blockchain. Os protocolos estão sendo atualizados, a dificuldade de mineração para determinadas cadeias de blocos também aumenta continuamente. Na Changelly, esperamos que um ataque de 51% nunca faça parte da sua experiência. 


Sobre o Changelly

Changelly é uma troca de criptografia instantânea segura criptomoedas que possui mais de 150 disponíveis para serem trocadas e compradas com as melhores taxas do mercado. Em operação desde 2015, a plataforma e seu aplicativo móvel atraem mais de um milhão de visitantes por mês, todos com trocas rápidas e simples, baixas taxas transparentes e suporte ao vivo 24/7.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *